corner
Healthy Skepticism
Join us to help reduce harm from misleading health information.
Increase font size   Decrease font size   Print-friendly view   Print
Register Log in

Polí­ticas Farmacêuticas: a Serviçodos Interesses da Saúde?

By José Augusto Cabral Barros
2004

Informações farmacoepidemiológicas independentes


Informação médica de qualidade influencia, positivamente, no caso dos medicamentos, a boa prescrição e uso final dos mesmos. A Internet já se constitui na via mais importante para obtenção de informações, inclusive para a desejada atualização farmacoterapêutica, estimando-se que, em 2005, 88 milhões de pessoas buscarão informações de teor médico na rede (Lama, 2000b). No caso específico dos profissionais prescritores, os boletins terapêuticos vinham cumprindo esse papel, de forma mais limitada, em especial por seu caráter impresso e menos atrativo quando comparados às revistas médicas clássicas, patrocinadas pelos anúncios de produtos farmacêuticos. As chances dos prescritores contarem com informação confiável, filtrada e concisa se ampliam bastante com a disponibilização dos boletins farmacológicos na web, ainda que seu formato, conteúdo e apresentação não sejam homogêneos. Estes boletins, de fato, podem oferecer dados contrastados, objetivos, sobre a utilização racional dos medicamentos, cumprindo seus propósitos de brindar recomendações isentas sobre eficácia, segurança e custo. Podem, igualmente, incluir matérias sobre a promoção dos fármacos e sobre as indicações autorizadas dos princípios ativos neles comentados. Obviamente, tais propósitos serão factíveis tão somente se as publicações gozarem de independência, seja em relação aos produtores, seja com respeito aos governantes e autoridades sanitárias. Os Quadros 5 a 8, apresentados em seguida, apontam alguns dos principais boletins terapêuticos disponíveis, no momento, no plano internacional e na Espanha, em particular, com seus respectivos acessos na Internet. Nesta, podem ser encontradas, tanto adaptações idênticas à edição impressa, com acesso diversificado ao seu conteúdo, como versões exclusivas on line. Quadro 5 – Alguns boletins farmacoterapêuticos disponíveis e suas páginas WEB BOLETINS SITES NA INTERNET Australian Prescriber http://www.australianprescriber.com Therapeutics Letter http://www.ti.ubc.ca Therapeutic Bulletin http://www.stjames.ie/NMIC/NMICINDE.HTMLMedicines Information Bulletin http://www.premec.org.nz/bulletins.html The Medical Letter on Drugs Therapeuticsa http://www.medletter.com Drug and Therapeutic Bulletinb http://www.which.net/health/dtb/main.html La Revue Prescrire http://www.esculape.com/prescrire/ MeRec Bulletina http://www.npc.co/uk/merec/merecbody.html http://web.archive.org/web/20010212000616/http://www.npc.co.uk/merec/nmerec2000.html Informazioni sui Farmacib http://www.fcr.re.it/sids.html World of Drug Information (Iowa Drug Info Service) http://www.uiowa.edu/~idis/idisnews.htm Carta Médica del Sindicato Médico del Uruguay http://web.archive.org/web/20080602062058/http://www.smu.org.uy/publicaciones/noticias/ Fonte: Bouza, CT et al. 2001. a Resumo b Indices Quadro 6 - Boletins farmacoterapêuticos disponíveis na Espanha e suas páginas WEB BOLETINS SITES NA INTERNET Información Terapéutica del Sistema Nacional de Salud http://web.archive.org/web/19991109164940/http://www.msc.es/farmacia/infmedic/f_infmedic.htm Boletín Terapéutico Andaluz http://www.easp.es/cadime Butlleti d’informació Terapéutica http://www.gencat.es/sanitat/cat/spbit.htm InformaciónFamacoterapéutica de la Comarca (INFAC) http://www.euskadi.nrt/sanidad/cevime/indice_c.htm Boletín Farmacoterapéutico de Navarra http://www.cfnavarra.es/WebGN/SOU/publicac/BJ/inicio.htm Fonte: Bouza, CT et al. 2001. Quadro 7 - Boletins e recursos relacionados à farmacovigilância e farmacoepidemiologia disponíveis em nível internacional BOLETINS SITES NA INTERNET Current Problem in Pharmacovigilance http://www.open.gov.uk/mca/cuprblms.htm Australian Adverse Drug Reactions Bulletin http://web.archive.org/web/200012050838/http://www.health.gov.au/tga/docs/html/aadrbltn/aadrbidx.htm Canadian Adverse Reaction Newletter http://www.hc-sc.gc.ca/hpb-dgps/therapeutic/index.html WHO Collaborative Centre for Internationa Drug Monitoring) Pharmacoepidemiology and Drug http://web.archive.org/web/20051105051931/http://www.who-umc.org/umc.html www.who.pharmasoft.se/whoprog.html Safety http://www.interscience.wiley.com/jpages/1053-8569/ Pharmacovigilance (Agência Francesa de Segurança Sanitária de Produtos relacionados à Saúde) http://afssaps.sante.fr Boletim de Farmacovigilância (Instituto Nacional de Farmácia e de Medicamentos do Ministério da Saúde de Portugal) http://www.infarmed.pt Reactions Weeklya,b http://pharmacotherapy.medscape.com/adis/RW/public/RW-journal. html Drug Safetyb http://www.adis.com/journals/drugsafety/index.html Adverse Drug Reactions and Toxicological Review http://www.oup.co.uk/jnls/list/drugsj Fonte: Bouza, CT et al. 2001. Quadro 8 – Alguns boletins e instrumentos relacionados à ‘farmacovigilância e à farmacoepidemiologia, disponíveis na WEB na Espanha BOLETINS E/OU RECURSOS SITES NA INTERNET Butlletí Groc http://www.icf.uab.es/informacion/boletines/bg_e.htm Boletín del Centro Regional de farmacovigilancia e Información Terapeutica de Canarias http://web.archive.org/web/20100923090727/http://www.fitec.ull.es/index.html Boletín Informativo del Centro Regional de Farmavigilancia de Navarra http://www.cfnavarra.es/BIF/DEFAULT.html Boletín de La Tarjeta Amarilla del Instituto de Farmacoepidemiologia de la Universidad de Valladolid http://www.ife-med.uva.es Boletín Informativo del Centro de Farmacovigilancia de Aragon http://www.wzar.uizar.es/cfva/ Centro Español de nvestigación Farmacoepidemiológica http://www.ceife.es Fonte: Bouza,CT et al. 2001. Quadro 9 – Algumas bases de dados sobre medicamentos disponíveis na Internet BOLETINS E/OU RECURSOS SITES NA INTERNET Banco de dados de medicamentos do Consejo General de Colegios Oficiales Farmacéuticos (Espanha) http://www.cof.es/bot Vademecum Internacionala http://www.vademecum.medicom.es Banque de données Automatisée sur les medicaments (BIAM)a www2.biam.org/acceuil.htm VIDALproa http://www.vidalpro.net Medscape Drug Info http://www.medscape.com/druginfo http:/promini.medscape.com/drugdb/search.asp Clinical Pharmacologya http://web.archive.org/web/20050115084027/http://www.gsm.com/ Electronic Medicines Compendiuma http://emc.vhm.net RxList – The Internet Drug Index http://www.rxlist.com Micromedex Health Series www-mdx.com Drugs in Pregnancy and Lactation (Harbor UCLA Medical Center) http://prl.humc.edu/obgyn/PUBLIC/TEARATOG/ Riska-c.htm Fármacos en el mundo http://web.archive.org/web/20051001113840/http://www.farmclin.com/farmclin/datamed.htm Fonte: Bouza,CT et al. 2001. Implantados com o propósito de monitorizar, prevenindo e avaliando os efeitos adversos surgem pós-autorização dos produtos farmacêuticos, os sistemas de farmacovigilância; implicam, necessariamente a institucionalização de estratégias de informações, tanto na consolidação, avaliação e fluxo das mesmas, quanto no intercâmbio com os profissionais de saúde, particularmente com os notificadores Os quadros 8 e 9 mostram os principais boletins e recursos relacionados à farmacovigilância e à farmacoepidemiologia, atualmente disponíveis no plano internacional e na Espanha, em particular. Além dos bancos de dados de caráter bibliográfico, pode ser útil na obtenção de forma imediata de dados atualizados sobre medicamentos comercializados, a realização de consulta às bases de dados da Internet incluídas no Quadro 9. Na sua forma impressa, o Vademecum Internacional, contendo fichas técnicas elaboradas pelos laboratórios para seus respectivos produtos e com uma base de dados contendo, em 2000, 90.000 especialidades, registradas em 18 países, tem se constituído em uma das fontes mais utilizadas pelos médicos. O Medscape Drug Info inclui informações de duas bases de dados: • do American Hospital Formulary Service – Drug Information. • National Drug Data File (200.000 produtos). O supra mencionado banco contempla referências bibliográficas sob a forma de hipertexto e monografias com indicações, doses, interações, efeitos adversos, informação para o paciente que pode ser entregue quando da prescrição. O banco VIDAL-pro contém mais de 7.000 monografias completas e 2.000 resumos, demandando registro gratuito, contando, ainda, com notícias sobre novos lançamentos e sobre produtos que foram retirados em virtude de efeitos adversos ou que, pura e simplesmente, deixaram de ser comercializados57. 57 A pagina Web Farmacos del Mundo, sob a responsabilidade da revista "Atención Farmacéutica" fornece os endereços de mais de 30 bases de dados sobre medicamentos, espalhadas pelo mundo, incluindo as citadas no Quadro 9. Desde 1° de abril de 2003, a AGEMED colocou em sua página web (http://www.agemed.es), com acesso gratuito, mais de quatro mil fichas técnicas de medicamentos autorizados na Espanha. Algumas instituições, particularmente ONGs que atuam em favor do uso racional de medicamentos, contam com boletins impressos regulares e/ou dispõem de sites na web58. Alguns boletins – caso do Farmacos http://www.boletinfarmacos.org, publicação que apresenta uma abrangência valiosa de temas, passando por notícias de interesse e temas relacionados às políticas de medicamentos, farmacovigilância, atualização terapêutica – estão disponíveis apenas em formato eletrônico. 58Entre outros, poderíamos destacar, no plano internacional: a Health Action International (HAI) (www. haiweb.org/) e seu ramo lationoamericano, a Accion Internacional para la Salud (AIS) (http://www.aislac.org; E-Drugs (Essential Drugs Conference; ISDB (International Society of Drug Bulletins) (http://www.isdbweb.org/); Public Citizen Health Research Group (http://www.publiccitizen.org); International Network for the Rational Use of Drugs (INRUD) (http://www.inrud.org); Healthyskepticism, antigo MaLam (http://www.healthyskepticism.org); a rede de intercâmbio de informações e-pharmacos (http://www.essentialdrugs.org/efarmacos) na qual qualquer interessado pode inscrever-se, bastando enviar um e-mail para .(JavaScript must be enabled to view this email address) A Health Action International (HAI), presente em cerca de 70 países, é uma rede de ONGs, fundada em 1982, com o propósito de contribuir para o uso seguro, racional e econômico de produtos farmacêuticos em todo o mundo e promover a implementação integral do Programa de Medicamentos Essenciais da OMS”. O INRUD, criado em 1989, atua como um fórum para reunir esforços em função da investigação de problemas relativos ao uso dos medicamentos, teste de estratégias orientadas a mudar o omportamento de provedores e consumidores, implementação de iniciativas de larga escala que venham a provocar alterações de comportamentos, compartilhando experiências no plano internacional com todos os envolvido nos temas em que a rede atua. Através do seu Programa de Manejo de Medicamentos, Managing Sciences for Health (MSH) (http://www.msh.org) está envolvido em pesquisa, assistência técnica, treinamento e publicações para melhorar o nível de saúde através do uso racional de medicamentos. No plano nacional, destaca-se a Sociedade Brasileira de Vigilância de Medicamentos (SOBRAVIME), criada em 1990 e cuja pagina na internet é: http://www.sobravime.org.br A entidade desenvolve uma gama ampla de atividades nos campos da orientação/educação de consumidores, investigação, publicação (além de um boletim regular, edita a série Phármakon, livros, abordando temas relacionados à farmacoepidemiologia), etc.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Next Section:
Resumen

Previous Section:
RELAÇÃO DE SIGLAS UTILIZADAS

Books homepage

Políticas Farmaceuticas homepage

 

Comments

Our members can see and make comments on this page.

 

  Healthy Skepticism on RSS   Healthy Skepticism on Facebook   Healthy Skepticism on Twitter

Please
Click to Register

(read more)

then
Click to Log in
for free access to more features of this website.

Forgot your username or password?

You are invited to
apply for membership
of Healthy Skepticism,
if you support our aims.

Pay a subscription

Support our work with a donation

Buy Healthy Skepticism T Shirts


If there is something you don't like, please tell us. If you like our work, please tell others. The contents of this page are the author's views and do not necessarily reflect the position of Healthy Skepticism or other members of Healthy Skepticism.

Please log in to access sharing tools.








There is no sin in being wrong. The sin is in our unwillingness to examine our own beliefs, and in believing that our authorities cannot be wrong. Far from creating cynics, such a story is likely to foster a healthy and creative skepticism, which is something quite different from cynicism.”
- Neil Postman in The End of Education